A entrevista no bac francês oral

, Author

br>A entrevista é a segunda parte do bac francês oral.
A entrevista é marcada de 8 pontos /20. Deve durar aproximadamente 8 minutos.
Esta parte do teste avalia a expressão oral, exigindo que o candidato se envolva pessoalmente no relato e na partilha de uma reflexão sobre as suas experiências de leitura.
div>Para recordar:

– Conheça bem a obra escolhida, o seu autor, o contexto
– Defenda sempre as suas respostas, cite exemplos da obra escolhida
– Tenha cuidado com a linguagem corporal
– Fale alto o suficiente, seja articulado, não fale muito depressa

br>>>div>Visualização da folha em L’entretien à l’orale du bac de français :
/div>
O processo de entrevista
A entrevista tem lugar em torno de um trabalho estudado durante o ano em leitura cursiva, e escolhido pelo candidato.
– A entrevista tem lugar em duas fases sucessivas:
– O candidato explica brevemente o trabalho que escolheu, e porque escolheu este trabalho,
– O examinador inicia uma discussão sobre o trabalho escolhido.
A exposição do candidato do trabalho é apenas um ponto de partida para as interacções que se lhe seguem (discussão com o examinador) e que constituem a essência do teste.
Assim, o avaliador avalia a capacidade do candidato para dialogar, para dar corpo aos seus argumentos e reflexões, para defender o seu ponto de vista sobre o trabalho.
É portanto necessário ter um bom domínio do trabalho escolhido.
1. apresentação do trabalho escolhido, e razão da escolha:
Esta apresentação deve ser breve: 2 a 3 minutos.
div>Texto oficial:
O candidato apresenta brevemente o trabalho que escolheu e explica as razões da sua escolha.br>Introdução da obra escolhida (menos de 2 minutos):
– Título e autor da obra
– Século, movimento literário ao qual está relacionada, contexto do período
– Resumo da obra em uma ou duas frases
– Principais temas da obra
div>Exemplo, se se escolheu L’ingénu de Voltaire:
Eu escolhi L’ingénu de Voltaire.
Este conto filosófico foi escrito no século XVIII, a obra pertence ao movimento do Iluminismo. O século XVIII marcou o desenvolvimento da filosofia do Iluminismo, um período iluminado pela razão que permitiu, segundo os filósofos do Iluminismo, sair do preconceito e da intolerância, e mover a humanidade em direcção à felicidade e ao conhecimento. O Iluminismo é um movimento literário e filosófico europeu.
O Ingenue conta as aventuras de um jovem Huron (índio canadiano) na França do século XVII.
A candura do herói permite a Voltaire fazer uma crítica do mundo civilizado. É portanto uma obra satírica que critica a intolerância e a hipocrisia religiosa, a monarquia absoluta, e é também uma crítica à sociedade do século XVIII (justiça, administração….).

Etc.br> Razão de escolha (1 minuto):
Tens de explicar ao examinador, de uma forma pessoal e argumentada, porque escolheste a obra em questão.
Tens de explicar aqui o que gostaste na obra, e porquê. Mas também pode dizer o que menos gostou, explicando sempre porquê.
Pode também explicar o que aprendeu com a leitura deste trabalho.
2. Discussão com o examinador:
A discussão centra-se no trabalho escolhido pelo candidato, podendo também ser alargada a outros trabalhos ou temas estudados durante o ano.
div>Texto oficial:
O candidato reage às perguntas do examinador, que, com base na apresentação do candidato e nos elementos que apresentou, avalia a capacidade do candidato para dialogar, para matizar e dar corpo aos seus pensamentos, e para defender o seu ponto de vista com base no conhecimento do trabalho.
O examinador não regressa à primeira parte do teste. Evitando perguntas fechadas e demasiado específicas, conduz a entrevista de uma forma aberta, dialogando com o candidato de modo a permitir-lhe explicar, justificar e assim defender a sua escolha.
br>É um diálogo com o examinador, não um interrogatório.
O examinador não está lá para o enganar.
O examinador será capaz de fazer ricochetear as palavras do candidato, pedir-lhe que esclareça os seus pensamentos, ou explicar uma palavra que tenha usado.
O candidato deve ser dinâmico e construtivo.
O examinador avalia:

– Conhecimento do trabalho,
– Outros conhecimentos do candidato relacionados com o programa,
– Capacidade de justificar a sua escolha,
– Aptidão para o diálogo,
– Qualidade do argumento,
– Capacidade de estabelecer ligações com outros campos do conhecimento,
– Qualidade da expressão,
– Nível da língua,
– etc.

br>Dicas para a entrevista oral para o bac francês
A entrevista toma a forma de um diálogo, mas também deve responder às perguntas feitas pelo examinador.
É importante argumentar, e citar exemplos: por exemplo, não dizer “Gostei desta personagem.” mas “Este personagem é muito interessante porque… Por exemplo, em tal e tal situação no romance, ele agiu de tal e tal maneira”.
Tente ser calmo, articular bem, falar distintamente e nem demasiado alto nem demasiado suave…
Utilize um nível correcto de linguagem, léxico preciso.
Tente ter cuidado com a linguagem corporal, adopte uma posição apropriada. Por exemplo, sem mão nos bolsos, não fique com os braços cruzados durante toda a entrevista.
Pode também falar sobre as dificuldades que encontrou ao ler o trabalho, e como as superou, para mostrar a sua evolução na compreensão deste trabalho.

Aqui estão algumas dicas sobre como trabalhar a sua linguagem corporal para a entrevista oral do Bacharelato Francês:
Exemplos de perguntas que podem ser feitas durante a entrevista
O examinador irá fazer-lhe perguntas durante esta entrevista, mas a entrevista toma a forma de um diálogo entre o estudante e o examinador.s perguntas do examinador podem estar mais ou menos relacionadas com o texto que acabou de estudar, e centrar-se-ão, por exemplo:
– O autor do texto (o que sabe sobre a vida do autor? Conhece outros textos do autor?…)
– A ligação entre a obra que escolheu e as outras obras do objecto de estudo,
– O movimento literário a que está ligada,
– etc.
– As perguntas também podem exigir respostas mais pessoais (mas sempre a serem discutidas):
– O que lhe agradou particularmente nesta obra?
– Há algum ponto que não lhe agrada neste trabalho?
– etc.
Sejam quais forem as perguntas, estas devem ser respondidas de forma simples, desenvolvendo os conhecimentos básicos, e citando exemplos do trabalho escolhido, ou de outros textos.
Se o examinador perguntar a sua opinião sobre um trabalho, pode ter uma opinião positiva ou negativa, mas deve ser argumentado.
Por exemplo, sobre a Candelária de Voltaire (as perguntas sobre L’Ingénu podem ser as mesmas, mas as respostas terão de ser adaptadas):
div>- O que gostou particularmente neste trabalho?
Elementos de uma resposta: esta resposta é pessoal, mas pode, por exemplo, falar sobre o humor do texto (citar exemplos), o ritmo da história, etc. >br>

– O que é um conto filosófico?
Exemplo resposta: um conto filosófico tem:
– as características de um conto tradicional (ficção, com um herói que encontra obstáculos, ajudantes, inimigos, e um final feliz). O conto deve entreter o leitor.
– um propósito filosófico: o objectivo do conto é de facto fazer o leitor pensar.
Assim, o conto filosófico deve fazer o leitor pensar enquanto entretém.
Em Candide, por exemplo, a viagem do herói e as aventuras que lhe acontecem distraem o leitor. Ao mesmo tempo, Voltaire percebe as críticas ao optimismo da filosofia de Leibniz.

>br>

– Porque é que Voltaire recorre ao conto filosófico?
Resposta exemplificativa: o conto filosófico permite contornar a censura, colocando a história num mundo distante da França, mas para criticar realmente a França (criticar o poder, o clero…).
É um meio de argumento indirecto.

– Podes citar outros contos filosóficos de Voltaire?
Exemplo resposta: Zadig, o Ingenue, A Princesa da Babilónia…

– Podes citar outros escritores do Iluminismo?
Exemplo resposta:Montesquieu, Rousseau, Diderot…

– Como é que o trabalho Candide se enquadra na filosofia do Iluminismo:
Exemplo resposta:Críticas ao metafísico optimismo de Leibnitz, com Pangloss, debate as ideias de felicidade, infortúnio, providência, critica com uma acumulação de factos que o desmentiram.
Critismo da religião, sátira dos padres: o libertinagem do irmão Giroflée, o jesuíta, o abade Périgourdin.
Voltaire denuncia a cumplicidade entre o poder político e a Igreja.
Crítica de todas as formas de injustiça e arbitrariedade, violência, escravidão, violência contra as mulheres, libertinagem, imoralidade.
Crítica da classe aristocrática, crítica aos médicos.


Ver também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *