A nossa abordagem

, Author

A nossa investigação visa analisar e desafiar a sabedoria convencional sobre a relação entre migração, desigualdade e desenvolvimento. Exploramos e promovemos novas abordagens às questões da desigualdade que maximizam os benefícios da migração para migrantes, comunidades e países.

Fazemo-lo das seguintes formas:

  1. Desafiamos silos conceptuais e disciplinares desenvolvendo equipas interdisciplinares e abordagens interseccionais.
  2. Integramos a análise da migração numa compreensão mais ampla da política e prática de desenvolvimento, baseando-nos no trabalho da OCDE e explorando a relação entre migração e políticas sectoriais, incluindo emprego, educação e saúde.

  3. Pomos os direitos e competências dos migrantes no centro da análise das suas necessidades e aspirações, recorrendo a estruturas legais e iniciativas de capacitação para alcançar melhores resultados para os migrantes, as suas famílias e comunidades.
  4. Baseamo-nos na experiência e conhecimentos dos nossos parceiros nas comunidades académicas, artísticas e da sociedade civil no Sul Global e desenvolvemos a investigação, política, capacidade artística e analítica.
  5. Colocamos a lacuna entre política e prática a nível nacional, regional e global através do envolvimento estratégico com parceiros locais e internacionais.

Os nossos métodos de trabalho

A nossa rede de parceiros de 12 países do Sul Global está organizada em seis “corredores” de migração, cada um com fluxos dinâmicos de pessoas, recursos e conhecimentos nos dois sentidos:

  • Burkina Faso-Côte d’Ivoire
  • Etiópia-África do Sul
  • China-Gana
  • Egipto-Jordânia
  • Nepal-Malásia
  • Haiti-Brasil

Cada corredor é caracterizado por padrões significativamente diferentes de desigualdade com amplos desafios de desenvolvimento e diversas abordagens políticas, permitindo uma análise comparativa da relação entre migração, desigualdade e desenvolvimento nos países de origem e de destino.

Dentro destes corredores de migração, trabalhamos os seguintes temas:

  • Desigualdades de género
  • Desigualdades na infância
  • Pobreza e desigualdades de rendimentos
  • Percepções, conhecimento e tomada de decisões dos migrantes
  • Intermediários migrantes

  • Fluxos de recursos
  • Mobilização política
  • Acesso à justiça
  • Infra-estruturas informáticas para combater as desigualdades
  • Programação escalável
  • Resiliência criativa e bemsendo

A estrutura do MIDEQ foi concebida para desenvolver oportunidades de investigação comparativa dentro e através destes corredores e temas, e incentivar a co-aprendizagem e a co-produção entre os nossos parceiros.

p>Saiba mais sobre os nossos corredores e temas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *