Abrir resumos e cartazes de comunicação64 Varicela congénita: sobre um caso

, Author


Observação

Esta é uma criança do sexo masculino. A mãe é a 2ª parte, 3º gesto. A gravidez actual é marcada por uma varicela contagiosa a 15 SA e depois pelo aparecimento de lesões cutâneas típicas de varicela a 17 SA. Foi realizada monitorização regular por ultra-sons e não foram encontradas anomalias morfológicas fetais características da síndrome da varicela congénita. A criança nasceu por cesariana às 39 semanas de gestação devido a uma alteração do ritmo cardíaco fetal. PN 3 160 g. Apgar 5-8-8. Apresentou problemas respiratórios imediatos que exigiam entubação assistida por ventilação. A evolução mostra distúrbios de deglutição, falsas vias repetidas que levam à pneumopatia inalatória, paralisia bilateral das cordas vocais, paralisia diafragmática direita, corioretinite bilateral e hipoglicémia repetida sem hiperinsulinismo. Note-se a ausência de lesões cutâneas. Devido a distúrbios de deglutição, foi realizada uma gastrostomia com alimentação fracionada. Foi instituída uma ventilação assistida nocturna na traqueotomia. Aos 3 meses de idade, a criança desenvolve herpes zoster no território V3. Nas várias amostras colhidas (CSF, BAL, sangue) a cultura, PCR e serologia VZV são negativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *