Capítulo (Português)

, Author

Uma pessoa sofre de uma fobia específica quando os seus ataques de pânico são desencadeados por um estímulo distinto (por exemplo, um cão, um avião, sangue, etc.) ou por uma situação particular (por exemplo, chegar atrasado ao trabalho, compromissos, etc.). A pessoa que sofre de uma fobia específica adopta comportamentos de evasão, mas aceitará viver, embora com medo intenso, certas situações que não podem ser evitadas. Como detalhado no capítulo anterior (Capítulo 5), as fobias específicas mais comuns são as de sangue, alturas, micróbios, aranhas, voar, vomitar e elevadores.
Fobias complexas são representadas principalmente por agorafobia e fobias sociais.
Agorafobia é ou o medo de estar em situações ou lugares em que não se podia encontrar ajuda, ou o medo de estar sozinho fora de casa, tal como numa multidão. De longe a fobia mais incapacitante, a agorafobia restringe o movimento ou exige que o doente seja acompanhado fora de casa.
Em contraste, o medo essencial do doente de fobia social é o de ser humilhado ou sujeito ao olhar crítico, acusatório ou desvalorizador dos outros. Tipicamente, a pessoa teme ser envergonhada por tremores de mão ou de voz que possam ser notados, um rubor que possa ser visto, ou qualquer outro sinal de ansiedade que o possa fazer parecer fraco, louco, ou estúpido…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *