COFFEE PROCESSING

, Author

COFFEE PROCESSING

<

<

br><<

p>p> O objectivo deste artigo é explicar uma das fases da vida do café antes de este terminar na nossa chávena: o processamento do café.

O processamento do café é o método, que após a colheita, resulta em feijões prontos para exportação tal como os conhecemos. Existem diferentes tratamentos dependendo das variedades e dos produtores.

Existem 3 sistemas diferentes de processamento de café utilizados:

– processamento a seco

– processamento a húmido

– processamento semi-lavado

Como é que estes tratamentos de café diferem? Isto é o que vamos explicar…

Processamento de café seco

Este é o método mais antigo que foi utilizado no Médio Oriente e ainda é utilizado em países como o Brasil, África Ocidental bem como Vietname e Laos.

O clima bastante seco durante a época de colheita favorece a secagem das cerejas de café.

Este método de processamento é menos dispendioso. Implica espalhar os frutos recém-colhidos e deixá-los a secar no exterior durante 2-3 semanas. Devem ser regularmente racionados para evitar mofo e permitir uma secagem uniforme.

Esta exposição ao sol permite então, quando a humidade é inferior a 12%, despolir mais facilmente a polpa do grão.

Com este processamento seco obtemos o que se chama “café natural”, desigual. O café terá um aroma médio e um corpo forte. O Arábica será caracterizado por uma cor amarelo-esverdeada e o Robusta por uma cor verde-acastanhada.

Processamento de café húmido

Este tipo de processamento de café também chamado “café lavado” é um método mais caro e laborioso do que o anterior. Este método foi desenvolvido pelos holandeses em 1740 e é utilizado em países onde o clima é bastante chuvoso e por isso não permite o processamento a seco.

O processamento a húmido é mais comum nos países da América Central, África e Índia.

Este processo deve começar o mais tardar no dia seguinte à colheita. Uma máquina puxa a cereja de café após uma limpeza inicial e estas são depois fermentadas por imersão em tanques de água durante 12 a 48 horas. O tratamento continua com uma lavagem (para remover impurezas) e uma secagem durante 7 a 15 dias ao sol ou num secador mecânico arejado. Com este tratamento, obtém-se um café muito uniforme com uma cor verde-azul para o Arábica e verde-amarelo para o Robusta. o café terá um sabor acentuado, um aroma muito rico e um corpo leve.

O tratamento do café semi-lavado

Este tratamento, também chamado “semi-lavado”, é o mais recente dos processos utilizados. De facto, foi desenvolvido no início da década de 1990. O método apareceu primeiro na Costa Rica e depois noutros países como a Colômbia e o Brasil.

Este processo é uma mistura dos 2 processos diferentes. Logo após a colheita, as cerejas limpas são parcialmente arrancadas por uma máquina para evitar que fermentem.

O tratamento continua com a secagem ao sol e o grão que se separa da mucilagem torna-se pegajoso como o mel, daí o seu nome “café com mel”. Isto dá ao feijão um sabor mais doce. Este método utiliza uma quantidade menor que o tratamento anterior e poupa um recurso muito importante nos países envolvidos.

br>>>p>p> Agora que sabe tudo sobre os diferentes tratamentos do café, pode consultar o artigo anterior sobre café no seguinte link: a história do café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *