Impacto dos testes de susceptibilidade aos antibióticos no tratamento antibiótico das infecções do tracto urinário masculino

, Author

IntroduçãoDesde Fevereiro de 2016, implementámos na nossa instituição testes de susceptibilidade aos antibióticos para os exames cito bacteriológicos da urina (UTEC). O objectivo do nosso estudo é ver se a implementação deste antibiograma alvo teve impacto em termos de prescrição de antibióticos. Materiais e métodos O nosso estudo compara 2 períodos: Julho-Agosto – Setembro 2015/2016 (antibiograma alvo no/yes). A extracção de registos foi realizada pelo software de laboratório (SIR I2A). As receitas foram extraídas do software do paciente DxCare®. Em 2015, o antibiograma era o mesmo independentemente do sexo, todas as moléculas testadas foram devolvidas: amoxicilina (AMX), ácido amoxicilina clavulânico (AMC), mecilinam (MEC), cefixima (CFM), ceftriaxona (CRO), cefotaxima (CTX), ceftazidima (CAZ), imipeneme (IPM), gentamicina (G), amikacina (AN), cotrimoxazol (SXT), ácido nalidíxico (NA), norfloxacina (NOR), ofloxacina (OFX), ciprofloxacina (CIP), fosfomicina (FF), furanos (F). Desde 2016, as moléculas testadas são as mesmas mas nem todas são devolvidas (cefepime substitui cefotaxime para enterobactérias do grupo 3). Para os humanos, temos: CTX-G-AN-SXT-OFX. Os testes de susceptibilidade a antibióticos descritos não incluem bactérias multi-resistentes (MRB). A escolha das moléculas foi feita em consulta entre o infectologista e o bacteriologista. Tem em conta os antibióticos reconhecidos como críticos e as recomendações do SPILF para as infecções do tracto urinário. Resultados Para o ano 2015: 104 ECBU estão listados. No total, 75 eram utilizáveis, incluindo 50 pacientes tratados. Após reavaliação de acordo com o antibiograma (45 pacientes), os antibióticos prescritos foram: CTX (2), CRO (5), CAZ (1), CFM (6), NOR (1), OFX (16), CIP (1), SXT (3), AMC (4), (TZP) (1), IPM (3) e AMX (2). Para o ano 2016: 103 ECBU dos quais 60 são exploráveis e 40 tratados. Após reavaliação, os antibióticos prescritos foram: CTX (7), CRO (5), CFM (3), OFX (14), IPM (1), AMC (1), SXT (9). Os pacientes tratados com IPM e TZP tinham BMR. Para 2016, AMC e CFM estão disponíveis em testes de susceptibilidade da hemocultura, o que explica a disponibilidade do resultado para infecções bacterémicas. A restrição da prestação de moléculas melhorou as prescrições de antibióticos recomendadas nas infecções do tracto urinário masculino. Conclusão Este estudo mostra o interesse do antibiograma alvo e o seu impacto positivo nas prescrições de antibióticos nas infecções do tracto urinário masculino. De facto, o nosso objectivo é múltiplo: promover a utilização de moléculas com menor impacto ecológico, controlar o risco de selecção da resistência bacteriana (cefotaxima versus ceftriaxona, cefepime para enterobactérias do grupo 3) mas sobretudo uma melhor gestão do doente, dirigindo o prescritor para as moléculas recomendadas nos homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *