Planeamento Familiar Pós-aborto: Reforço da Componente de Planeamento Familiar dos Cuidados Pós-aborto

, Author

Receptores de Cuidados Pós-aborto são mulheres e raparigas que precisam claramente de planeamento familiar. Mesmo que uma mulher queira ter um filho o mais cedo possível, as directrizes da OMS recomendam esperar pelo menos seis meses após um aborto (ou interrupção voluntária da gravidez, VTP) antes de engravidar novamente (OMS, 2006). A assistência pós-aborto inclui três elementos: 1) tratamento de emergência de complicações relacionadas com o aborto espontâneo ou induzido; 2) prestação de aconselhamento e serviços de planeamento familiar e, quando existem recursos humanos e financeiros disponíveis, avaliação e tratamento de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), bem como aconselhamento e/ou encaminhamento para testes de VIH de mulheres que fizeram um aborto; e 3) empoderamento das comunidades através da sensibilização e mobilização (USAID, 2004) Existem agora fortes provas de que é possível, aceitável e eficaz fornecer serviços de planeamento familiar ao lado e no mesmo local que os serviços pós-aborto. Apesar disto, muitas mulheres deixam as instalações após um aborto sem receberem aconselhamento, informação, ou serviços de planeamento familiar. Este documento de informação destaca a importância do reforço do planeamento familiar como componente integral dos serviços pós-aborto e mostra o que esta componente pode contribuir para os programas nacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *