Procedimento de pagamento simplificado

, Author


Procedimento de pagamento do subsídio de desemprego temporário após a crise do coronavírus (actualização 25/05/2020)

O procedimento de pagamento do subsídio de desemprego temporário foi simplificado tanto quanto possível.

O trabalhador deve apresentar um pedido de subsídio a um organismo de pagamento (sindicato: CGSLB, CSC, FGTB ou público: Capac). Para tal, deve preencher um formulário simplificado que pode encontrar na primeira página do website da sua organização de pagamento. Ele menciona no formulário:

  • a data do pedido de prestações, ou seja, a data do 1º dia de desemprego temporário;
  • o número da sua conta;
  • os seus dados de identificação.

Ele envia este formulário ao seu organismo de pagamento seguindo o procedimento que também é mencionado no mesmo site. Se desejar, o trabalhador pode consultar o site Onem na rubrica Como é que, como trabalhador, solicita o subsídio de desemprego temporário? na primeira página, que o levará directamente ao site do seu organismo de pagamento.

O empregador que coloca o trabalhador no desemprego temporário deve fazer uma declaração electrónica das horas de desemprego temporário durante o mês em questão. Pode escolher entre dois canais de comunicação: ou através de uma aplicação web no site do portal da segurança social Declaração mensal das horas de desemprego temporário ou de suspensão dos empregados DRS Cenário 5, ou através do envio de um ficheiro de lote estruturado (principalmente através de um secretariado social ou de um prestador de serviços). O empregador não tem de esperar até ao final do mês para fazer esta declaração e pode fazê-lo assim que todos os dados até ao final do mês forem conhecidos. Esta declaração é automaticamente transmitida à agência de pagamento. Alguns trabalhadores estão isentos de apresentar um pedido de prestações (ver ficha T2).

Após o organismo pagador estar na posse destes dois documentos, pode pagar as prestações para o mês em questão, não antes do início do mês seguinte. Não tem de esperar por uma decisão de Onem.

É por isso que os trabalhadores e empregadores são fortemente aconselhados a completar estas formalidades o mais rapidamente possível. Candidaturas e declarações rápidas e completas permitem que as prestações sejam pagas mais rapidamente.

O subsídio de desemprego temporário corresponde a 70% da remuneração média limitada (a 2.754,76 euros por mês). O trabalhador receberá um subsídio diário de entre 55,59 euros (mínimo) e 74,17 euros (máximo). Durante um mês inteiro, receberá em média 26 subsídios diários*.

O trabalhador tem direito a um suplemento de 5,63 euros por dia se estiver temporariamente desempregado devido a força maior, o qual é também pago pela agência de pagamento. Tem direito a um suplemento de pelo menos 2 euros por dia se for colocado temporariamente desempregado por razões económicas, o qual é pago pelo empregador ou por um Fundo de Segurança de Vida.

É retido um imposto retido na fonte de 26,75% destes montantes. Para as prestações para os meses de Maio de 2020 a Dezembro de 2020 inclusive, esta retenção foi reduzida para 15%.

*Montantes mensais: estes montantes são dados a título indicativo porque o trabalhador temporariamente desempregado raramente é compensado durante um mês inteiro (26 dias em média) mas apenas nos dias em que está temporariamente desempregado durante o mês (na realidade, as horas de desemprego temporário convertidas em dias). Estes são os montantes para o desemprego temporário de força maior devido à epidemia do coronavírus. Estes montantes podem ser ligeiramente diferentes para o desemprego temporário por razões económicas (porque o suplemento é diferente como explicado acima).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *