SNCF: a competição está a chegar a Nantes, explicamos tudo!

, Author

Ao abrir à competição o funcionamento das rotas Nantes-Lyon e Nantes-Bordeaux Intercity, o governo começa a aplicar a reforma ferroviária que aprovou no ano passado. Em breve, os primeiros concorrentes da SNCF deverão estar a chegar a França. Fazemos um balanço.

As linhas internacionais estão abertas à concorrência desde 2009. Mas apenas uma empresa se opôs frontalmente à SNCF: Thello. Uma filial da empresa estatal italiana Trenitalia, que explora comboios nocturnos Paris-Milão-Veneza e uma linha clássica Marselha-Nice-Génova-Milão.

A partir de Dezembro de 2020 – como acontece com os comboios de alta velocidade – os operadores alternativos serão autorizados a explorar comboios em linhas clássicas, para ligações domésticas, “desde que não comprometam o equilíbrio económico dos contratos de serviço público”. É Arafer, o regulador, que terá de julgar se, por exemplo, um Paris-Bordeaux criado por uma companhia ferroviária não perturba demasiado os TERs Angoulême-Bordeaux.

Quando é que os TGV irão competir com os da SNCF?

A SNCF opera livremente os TGV. A partir de Dezembro de 2020, terá de partilhar as suas faixas de tráfego com os seus concorrentes… se é que existem. O “bilhete de entrada” será de facto muito elevado nesta vaga, que está muito ocupada para a SNCF, que tem trabalhado para subir de gama (com o inOui) e desenvolver uma oferta de baixo custo (com o Ouigo), ou para criar filiais com os seus vizinhos, como o Thalys e o Eurostar.

Um potencial concorrente terá de encomendar slots de tráfego, encontrar equipamento aprovado para circular em França, recrutar motoristas, tratar do marketing e da venda de bilhetes, etc.

Embora a Trenitalia tenha dito estar interessada, a concorrência poderia vir primeiro do Sul, com a espanhola Ilsa, uma subsidiária da companhia aérea Air Nostrum (grupo Iberia), anunciando que em breve abrirá uma rota Madrid-Barcelona-Montpellier. Na Europa, apenas a Italo, uma empresa italiana na qual a SNCF já foi accionista, se opõe aos comboios de alta velocidade da Trenitalia.

E nas regiões?

Terrain services (TER) será a mais afectada pela chegada da concorrência, tornada obrigatória pela directiva europeia. São organizados pelas regiões, que são actualmente obrigadas a assinar acordos com a SNCF para a exploração dos comboios. Pagam 3 mil milhões de euros por ano por isto, três quartos dos custos operacionais.

A partir de agora, as regiões lançarão concursos para escolher um operador para gerir a totalidade ou parte dos seus TER, durante alguns anos, sob delegações de serviço público. A SNCF pode ou não ganhar. A partir de Dezembro de 2019, as regiões poderão continuar a negociar directamente com a SNCF durante quatro anos ou optar por organizar concursos, com a duração dos contratos adjudicados a não exceder dez anos.

Brittany e Occitania cautelosa

A partir de Dezembro de 2023, os concursos tornar-se-ão obrigatórios. As regiões mais resistentes à mudança poderão assim, teoricamente, manter o monopólio da SNCF em casa, sem sair a concurso, até ao final de 2033.

A região PACA já sondou potenciais concorrentes, lançando um convite à manifestação de interesse. Hauts-de-France, Grand-Est, Normandy, Bourgogne-Franche-Comté, Auvergne-Rhône-Alpes e Pays-de-la-Loire também estão interessados. Por outro lado, a Occitânia e a Bretanha são muito mais cautelosas.

A competição será gradual: inicialmente deve dizer respeito apenas a certas rotas seleccionadas. E, tendo em conta os procedimentos, os primeiros “comboios de competição” não devem circular antes de 2021. Quanto à Ile-de-France, será preocupada entre 2023 e 2039, dependendo das linhas.

E as Intercités?

Uma boa parte das Intercités foi cedida às regiões, ou está em vias de ser cedida, tais como Paris-Amiens-Boulogne, Paris-Orléans-Tours, Paris-Troyes-Belfort, Clermont-Nîmes, Paris-Caen-Cherbourg ou Paris-Rouen-Le Havre. Tornam-se assim TER.

O Estado continua responsável pelas linhas Paris-Orléans-Limoges-Toulouse (POLT), Paris-Clermont, Bordeaux-Toulouse-Marseille, Nantes-Lyon, Nantes-Bordeaux e Toulouse-Hendaye. Tem também os comboios nocturnos Paris-Briançon e Paris-Rodez/La Tour-de-Carol/Cerbère à esquerda.

O horário de abertura à concorrência é o mesmo que para os TERs. Por enquanto, um acordo com a SNCF decorre até 2020. A Ministra dos Transportes Elisabeth Borne anunciou em Setembro que a SNCF manteria a exploração dos comboios nocturnos após 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *