Three-Fifths Compromise

, Author

The Three-Fifths Compromise foi um compromisso entre os estados do Sul e do Norte alcançado durante a Convenção de Filadélfia de 1787, na qual três quintos da população enumerada de escravos seriam contados para efeitos de representação no que respeita tanto à distribuição de impostos como à repartição dos membros da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Foi proposto pelos delegados James Wilson e Roger Sherman.

Delegados que se opõem à escravatura desejavam geralmente contar apenas os habitantes livres de cada estado. Os delegados que apoiavam a escravatura, por outro lado, geralmente queriam contar os escravos nos seus números reais. Uma vez que os escravos não podiam votar, os detentores de escravos teriam assim o benefício de uma maior representação na Câmara e no Colégio Eleitoral. O compromisso final de contar “todas as outras pessoas” como apenas três quintos do seu número real reduziu o poder dos estados escravos em relação às propostas originais do sul, mas aumentou-o em relação à posição do norte.

O Compromisso dos Três Quintos encontra-se no Artigo 1, Secção 2, Parágrafo 3 da Constituição dos Estados Unidos da América:

Representantes e Impostos directos serão repartidos entre os vários Estados que podem ser incluídos nesta União, de acordo com os seus respectivos Números, que serão determinados adicionando a todo o Número de Pessoas Livres, incluindo as vinculadas ao Serviço por um Prazo de Anos, e excluindo os índios não tributados, três quintos de todas as outras Pessoas.

Conteúdo

  • 1 Antecedentes
  • 2 Efeitos
  • 3 Substituída
  • 4 Má concepção
  • 5 Referências
  • 6 Bibliografia

h2> Fundo

Os trêsA quinta relação não era um conceito novo. Teve origem com uma alteração de 1783 proposta aos Artigos da Confederação. A alteração deveria ter alterado a base para determinar a riqueza de cada Estado, e consequentemente as suas obrigações fiscais, desde os bens imóveis até à população, como medida da capacidade de produzir riqueza. A proposta de uma comissão do Congresso tinha sugerido que os impostos “serão fornecidos pelas várias colónias na proporção do número de habitantes de cada idade, sexo e qualidade, excepto os índios que não paguem impostos”. O Sul opôs-se imediatamente a esta fórmula uma vez que ela incluiria os escravos, que eram vistos principalmente como propriedade, no cálculo do montante dos impostos a pagar. Como Thomas Jefferson escreveu nas suas notas sobre os debates, os estados do Sul seriam tributados “de acordo com os seus números e a sua riqueza conjunctamente, enquanto o Norte seria tributado apenas sobre os números”

Após os compromissos propostos de 1⁄2 por Benjamin Harrison da Virgínia e 3⁄4 por vários New Englanders não terem obtido apoio suficiente, o Congresso acabou por se conformar com a relação 3⁄5 proposta por James Madison. Mas esta emenda acabou por falhar, ficando dois Estados aquém da aprovação unânime necessária para alterar os Artigos da Confederação (apenas New Hampshire e Nova Iorque se opuseram).

A proporção proposta foi, no entanto, uma solução pronta para o impasse que surgiu durante a Convenção Constitucional. Nessa situação, o alinhamento das forças em confronto era o contrário do que tinha sido obtido ao abrigo dos Artigos da Confederação. Ao alterar os Artigos, o Norte queria que os escravos contassem mais do que o Sul, porque o objectivo era determinar os impostos pagos pelos estados ao governo federal. Na Convenção Constitucional, a questão mais importante era a representação no Congresso, pelo que o Sul queria que os escravos contassem mais do que o Norte.

“Muito se tem falado da impropriedade de representar homens que não têm vontade própria. …Eles são homens, embora degradados à condição de escravos. São pessoas conhecidas das leis municipais dos estados que habitam, bem como das leis da natureza. Mas a representação e a fiscalidade andam juntas. …Seria apenas para impor um fardo singular, sem conferir alguma vantagem adequada?”. – Alexander Hamilton

Efeitos

A proporção de três quintos, ou “proporção federal”, teve um efeito importante nos assuntos políticos anteriores à Guerra Civil devido à representação desproporcionada dos estados escravos em relação aos eleitores. Por exemplo, em 1793 estados escravos teriam sido atribuídos 33 lugares na Câmara dos Representantes se os lugares tivessem sido atribuídos com base na população livre; em vez disso, foram atribuídos 47 lugares. Em 1812, os estados escravos tinham 76 em vez dos 59 que teriam tido; em 1833, 98 em vez dos 73. Como resultado, os sulistas dominaram a Presidência, o Porta-Voz da Câmara, e o Supremo Tribunal no período anterior à Guerra Civil.

p>Historian Garry Wills postulou que sem os votos adicionais dos estados escravos, Jefferson teria perdido as eleições presidenciais de 1800. Além disso, “…a escravatura teria sido excluída do Missouri…a política de expulsão dos índios Jackson teria falhado…a disposição Wilmot teria proibido a escravatura em territórios ganhos do México…. a lei Kansas-Nebraska teria falhado….”. No entanto, outros historiadores criticaram a análise de Wills como simplista. Por exemplo, enquanto o Compromisso dos Três Quintos podia ser visto como favorecendo os estados do Sul (que geralmente tinham maiores populações de escravos), o Compromisso de Connecticut tendia a favorecer os estados do Norte (que eram geralmente mais pequenos). O apoio à nova Constituição assentava no equilíbrio destes interesses seccionais.

Substituído

Seguir a Guerra Civil e a abolição da escravatura pela Décima Terceira Emenda à Constituição dos Estados Unidos (1865), a cláusula dos três quintos foi posta em causa. A Secção 2 da Décima Quarta Emenda à Constituição dos Estados Unidos (1868) substituiu posteriormente o Artigo 1, Secção 2, Cláusula 3. Afirma especificamente que “Os representantes serão repartidos …contando o número total de pessoas em cada Estado, excluindo os índios não tributados…”

Má concepção

De acordo com um artigo da PBS, o Compromisso dos Três Quintos é por vezes erroneamente dito que os fundadores acreditavam que os negros eram apenas seres humanos parciais (ou seja, três quintos de uma pessoa). O artigo também declara que o compromisso não tinha qualquer relação com o valor individual do escravo negro.

>>

  1. ^ Testamentos pg. 51
  2. ^ Hannis Taylor (1911). A Origem e o Crescimento da Constituição Americana: Um tratado histórico. Houghton Mifflin Company. pp. 131. http://books.google.com/books?id=_-U9AAAAIAAJ&pg=PA131&lpg=PA131&dq=%22shall+be+supplied+by+the+several+colonies+in+proportion+to+the+number+of+inhabitants+of+every+age%22&source=web&ots=mFdnHnbE5D&sig=KNxPmpQE4yeWrTKWXBfSH8b3YFY.
  3. ^ Testamentos pg. 51-52
  4. ^ Testamentos pg 53.
  5. ^ Hamilton pg. 237
  6. ^ Jonathan Elliot, ed. (1866). Os debates nas várias convenções estatais sobre a adopção da Constituição Federal, como recomendado pela Convenção Geral da Filadélfia, em 1787. J.B. Lippincott & Co. Washington: Taylor & Maury. pp. 237. http://books.google.com/books?id=OS4MAQAAMAAJ&dq=The%20Debates%2C%20resolutions%2C%20and%20other%20proceedings%2C%20in%20convention%2C%20on%20the&pg=PA237#v=onepage&q&f=false.
  7. ^ a b Testamentos p.5
  8. ^ “UMA ESCALA PARA O SISTEMA? Thomas Jefferson e a Escravatura”. Instituição Hoover. 19 de Janeiro de 2004. http://www.hoover.org/multimedia/uk/2993311.html. Recuperado em 2008-02-20.
  9. ^ Banning, Lance (31 de Agosto de 2004). “Three-Fifths Historian”. O Instituto Claremont. https://www.claremont.org/publications/crb/id.821/article_detail.asp. Recuperado em 2008-01-21.
  10. ^ Artigo do PBS, The Claremont Institute

Bibliografia

  • Wills, Garry (2003). “Negro Presidente”: Jefferson e o Poder Escravo. Boston: Houghton Mifflin. ISBN 0-618-34398-9.
  • Walton, Hanes, Jr.; Smith, Robert C. (2006). American Politics and the African American Quest for Universal Freedom (3rd Edition ed.). Nova Iorque: Pearson Longman. ISBN 0-321-29237-5.
  • Wiencek, Henry (2004). Um Deus Imperfeito: George Washington, Os Seus Escravos, e a Criação da América. Nova Iorque: Farrar, Straus, e Giroux. ISBN 0-374-52951-5.
  • li>Relatório do Comité Directivo da Universidade Brown sobre Escravatura e Justiça

tr>

br>

>br>>>>td>br>

Texto

>>>

Artigos

>>>/td>>
>

Alterações

>>>/td>>>>br>

>br>>>>>>

>/td>>>br>>>> Formação

>>/td>>

Clauses

>br>

Interpretação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *